sábado, 28 de junho de 2008

Capítulo 16 – Assassinato

Roni me surpreendeu agindo de forma totalmente calma a minha confissão.
_ Porque, Helena? Porque esconder isto todo estes anos?
Então eu terminei de confessar tudo
_ Eu tive medo. Você ficou muito tempo fora praticamente uns sete meses. Eu me apeguei ao Téo e quando eu menos percebi, eu estava totalmente apaixonada por ele. Um pouco antes de você voltar para casa, ele me pediu em casamento. Mas, eu não tive coragem, eu tive medo dos meus pais, da sociedade, de você me tirar o Leo. Então, ele foi embora e nós nunca mais nos vimos até o velório do seu pai.
_ Você não contou a ele que você estava grávida? _ Eu não sabia. Eu só fui descobrir alguns dias depois da sua volta. Eu fiquei totalmente perdida, eu tentei procurar o Téo; mas ele havia simplesmente desaparecido, eu pensei em fazer um aborto; mas eu amava tanto o Téo. Que eu me permiti já que eu não podia ficar com ele, ter um pedacinho dele comigo para sempre. E foi isto! _ Eu até entendo, Helena. Mas, e depois? Quando vocês voltaram a namorar? O Téo conviveu quase a vida toda com a filha e ela com ele sem saber do laço que os une. Como você foi capaz de tamanha crueldade? _ Eu pensei em contar, mas eu tive medo.
_ Medo do que? Nós nem estávamos mais casados.
_ Eu tive medo da reação do Téo da Julinha.
_ Não justifica tamanha crueldade. Você preferiu ver sua filha sofre, a lhe confessar toda a verdade?
_ Que exagero, Roni! É só um amor adolescente, com certeza vai passar.
_ Pode até ser! Mas, você não tinha o direito. E foi muita crueldade sim. Mas, o bom é que tudo ficará esclarecido de hoje em diante.
_ Como assim?!?
_ Não pensa você que eu não vou contar anda a eles. Julinha e Téo tem que saber, se você não contar eu conto.
_ Não Roni, por favor! Não faça isto comigo, eles vão me odiar, por favor!!!
_ Eles tem que saber Helena. Não é justo.
_ Eu não estou em sentindo bem. Eu preciso de uma bebida.
_ Eu acho que eu também preciso de uma.
_ Eu vou fazer uma batida de morango com rum para a gente.
Então nós fomos para a cozinha e eu fui preparar nossa batida. Eu tinha que pensar rápido em uma saída, e eu não via opção a não ser uma. Aproveitando a distração do Roni que observava nossa seleção de vinhos. Eu coloquei um velho conhecido meu na bebida. Servi a bebida, fiz de conta que eu tomava, enquanto o Roni se servia. Ele voltou a observar os vinhos, mas não tomava a bebida.
_ Vocês tem uma seleção muito boa aqui. Você pretende levar tudo para França?
_ Só alguns, eu posso te dar de presente se você quiser.
Então ele bebeu... ... e de imediato começou a passar mal.
_ Eu não estou conseguindo respirar, Helena por favor me ajude!
_ Fica tranqüilo, logo passa. _ Você não está entendendo, eu estou ficando sem ar. Chame logo a emergência. _ Você que não está entendendo, Roni. Daqui a alguns instantes, você estará morto. Assim como sua mãe. A voz do Roni agora não passava de um sussurro.
_ Minha mãe?!? Você matou minha mãe???
_ Matei Roni, igualzinho eu estou te matando. Ninguém mandou vocês se meteram na minha vida!!! _ Você, você, você ainda vai pagar muito caro por isto. Você verá!!! _ O que você vai fazer, voltar do inferno para me assombrar? Estou morrendo de medo, rsrsrsrsrs. Então Roni caiu mortinho em minha cozinha. Eu não queira fazer isto. Mas, Roni não me deu muita escolha.
O importante é que agora meu segredo estava salvo para sempre.

4 comentários:

Maáh disse...

Nossa!
Me prendo à história cada vez mais!
Tenso esse capítulo, mas ela não vai conseguir sair ilesa dessa outra vez né?!

Bom final de semana!
=*

marina disse...

Até isso a Helena foi capaz de fazer? My God!! Pobre Julinha (que se apegou ao seu "pai") e mais ainda... Pobre Henrique!! Pobre Gabi, pobre Bella...
Chris, Chris, não deixe que a Helena continue com isso!! Mas tenho certeza que você vai mudar o rumo dessa historia rapidinho, nao vai ser dificil pra voce! (:
Além do mais, o nome do diario é "A QUEDA DE HELENA", certo? (:

Aah, e eu queria saber se tem realmente como colocar veneno na bebida de alguem... Ou como voce fez pro Roni morrer desse jeito!

Beijaaaaaaaaaaaaao da Mari :D

anna disse...

Olá Chrisfried eu estou amando acomphar sua historia continue assim
estou ansiosa pela surpresa q vc guarda para o final da Helena
abraços
:)

Chrisfried disse...

Oi, Meninas!!

Obrigada pelos elogios.

É a Helena foi capaz de tudo, mas o final dela será terrível.

Bjos
Chrisfried