quarta-feira, 9 de julho de 2008

Capítulo 18 – Sob Suspeita – Parte I

Mal chegamos em casa, Téo me questionou novamente.
_ Lena, você e o Roni discutiam sobre o que quando ele enfartou?
_ Você está me acusando do que Téo?
_ De nada, Lena. Eu só quero saber sobre o que vocês discutiam?
_ Em primeiro lugar nós não estávamos discutindo. Ele está me contando sobre os problemas dele com a Gabriela. Parece que eles tinham brigado. Algo a ver com paternidade do Henrique.
_ Não estou entendendo nada. Não faz o mínimo sentido, ele vir falar com você sobre isto.
_ Não é bem assim; ele queria saber se durante o processo da guarda tínhamos feito o DNA do garoto, faz tantos anos que ele não se lembrava se o juiz havia pedido ou não. e como eu era advogada do caso...
_ De qualquer forma não faz muito sentido, a Gabi e ele brigarem por causa disso. Se bem que ela disse que eles haviam brigado por causa das crianças. Deve ser isto.
Ufa!!! Esta foi por pouco.
_ Téo, eu quero ir para a França o mais rápido possível, nós poderíamos ir antes do natal.
_ Lena. Eu, eu te entendo depois de tudo o que houve; mas eu não posso ir antes do natal, não depois de tudo o que aconteceu. Eu preciso ao menos dar um apoio para a Isabella e a Gabi, afinal Natal é a semana que vem. Mas, eu entendo se você quiser ir passar com a Julinha e seu pai. Pode ir, depois do Ano novo eu levo nossa mudança. _ Tudo bem. Eu não quero passar longe de você. Porque você não liga pra elas e as convida para virem ceiar aqui em casa.
_ Excelente idéia querida, eu vou ligar amanhã mesmo.
Ótimo, ao menos aqui em casa eu poderei vigiar a conversa sem levantar suspeitas.
Mas ao contrário do que eu pensava, Téo resolveu ir fazer o convite pessoalmente.
_Oh, minha querida! Como você está?
_ Péssima, Téo! Tem horas que eu ainda acho que ele vai entrar por esta porta me chamando a qualquer momento.
_ Eu sei que é difícil, mas você tem que reagir. E por falar em reagir vocês já tem planos para o natal?
_ Ah, Téo! Nenhum, como é que nós vamos celebrar alguma coisa. Eu não tenho nem cabeça para pensar.
_ Eu imaginei. A Lena convidou vocês para irem passar lá em casa. Já que Julinha está na França com o pai dela...
_ Téo, não!!!! Eu não poderia passar o natal com aquela mulher, não depois de todo o mal que ela fez com as crianças.
_ Mal? Não estou entendendo. Do que você está falando? O que a Lena fez com as crianças? Ela machucou alguém? O que ouve?
_ Bom, na verdade ela não agrediu ninguém. Mas, pêra ai... você não está sabendo sobre a Julinha e o Rick?
_ Sabendo o que?
_ Ah, meu Deus!!!!! Ela matou o Roni...
_ Gabi, pelo amor de Deus falo eu!!!! Do que você está falando? Porque a Helena mataria o Roni? E o que ela fez com as crianças?
_ Ah, meu Deus!!!! Como eu não suspeitei disto antes. Agora tudo faz sentido. Aposto que você não sabe que a Julinha é sua filha?_ O QUE?!?!
_ Burra, burra, burra!!! Porque eu não pensei nisto antes. Téo eu preciso ir a policia agora mesmo.
_ Gabi, eu sei que a morte do Roni está sendo um choque para você, acho que você precisa de um médico e não da policia.

_ NÃO!!! Eu sei que você acha que eu estou louca, mas é porque tudo faz sentido agora eu vou te explicar.... Só me responda uma coisa Téo, só uma. Você e a Helena tiveram um caso em NY quando ela era casado com o Roni? Por favor, eu preciso da verdade? _ Tivemos por quê?
_ Eu vou te explicar. Quando você e a Helena viajaram a Julinha ficou aqui em casa. A Julinha e o Rick sempre foram muito próximos desde pequenos. Enfim, um dia o Roni pegou os dois se agarrando no quarto, já fazia uns dias que eles estavam namorando....
_ Mas, o que você está falando? Eles não poderiam namorar, eles são meio-irmãos.
_ Exato!!!! Só que na hora não nos ocorreu isto. O Roni ficou possesso com o Henrique e o expulsou de casa. Há uns dias, eu comecei a suspeitar que Julinha não fosse filha do Roni. Nós tivemos uma briga horrível por causa disto, pois eu queria que ele forçasse a Helena para saber se Julinha não era filha dele. _ Tudo bem! Estou entendendo que você quer dizer, e faz sentido realmente Julinha ser minha filha. Mas, porque Helena mataria o Roni por causa disto? E se Julinha fosse realmente minha filha, porque Helena já não teria me contado; afinal já faz anos que nós moramos juntos?
_ Não sei Téo. Eu não tenho as resposta para tudo, mas eu só sei que tem algo me dizendo que foi isto que aconteceu. Eu não sei te explicar é como um sexto sentido. _ Ok, eu estou achando tudo isto uma loucura, mas te conhecendo bem, sei que você só vai desencanar desta história depois que ver que não é anda disto. Se eu te levar a policia com esta história eles vão achar que você está louca. O marido da Tina é investigador, eu vou ver se eles estão em casa e vamos ver o que ele acha disto, ok?
_ Ok. Mas, você vai ver que eu não estou louca.

Um comentário:

marina disse...

Chris! Estou muito ansiosa para ver o esperado "final" da Helena! Faltam muitos capítulos??

Ah, e eu queria saber como voce fez pro Roni morrer desse jeito! Eu nao conheço! Conheço até morrer de susto, mas morrer assim nao (:

Beijaaaaaao da
Mari :)